|Resenha| O Ceifador

O Ceifador
Autor: Neal Shusterman
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Comprar: Amazon

A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria… Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador – papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.

Eu recebi esse livro da Editora Seguinte para resenhar pelo outro blog em que eu escrevo, o Starbooks, e ele me surpreendeu muito. A proposta toda e o mundo que o autor criou realmente fazem com que o leitor pare e pense sobre a vida como um todo.

O livro se passa em um futuro utópico no qual a humanidade venceu todas as barreiras da morte. A tecnologia avançou a tal ponto que as pessoas não morrem mais de acidentes, causas naturais ou doenças. É tudo muito lindo, mas como pessoas continuam nascendo e não mais morrendo, é preciso ter um controle populacional e, para isso, foram criados os Ceifadores.

Eles são pessoas escolhidas para coletar as outras depois de passar por um treinamento e três provas. Os Ceifadores possuem uma cota de quantas pessoas eles podem e devem coletar durante um determinado período de tempo, mas o método com o qual eles decidem matar as pessoas é de livre escolha de cada um. Além disso, eles possuem um anel que concede imunidade durante um ano inteiro às pessoas que o beijam.

O livro começa justamente quando o Ceifador Faraday resolve escolher dois adolescentes para serem seus aprendizes, a Citra e o Rowan. Nenhum dos dois quer o cargo de ceifador mas, segundo Faraday, essa é a primeira característica que ele busca em um ceifador: não desejar coletar os outros. Apenas um dos dois deve se tornar um Ceifador; porém, ao desenrolar do livro, esse jogo de aprendizes se torna muito mais letal do que qualquer um deles teria imaginado.

O que mais desejo para a humanidade não é a paz, o consolo ou a alegria. É que ainda morramos um pouco por dentro toda vez que testemunhemos a morte de outra pessoa. Pois só a dor da empatia nos manterá humanos. Nenhum Deus vai poder nos ajudar se algum dia perdermos isso.

Vamos começar dizendo que esse livro é maravilhoso – quanto mais eu penso nele, mais eu gosto. Agora sim, podemos continuar.

Achei toda a ideia do autor muito inovadora e, ao mesmo tempo, muito provocativa. Imaginar uma sociedade na qual as pessoas não morrem e nós colocamos humanos para cuidar da coleta dos outros é simplesmente perturbador. Pior ainda é imaginar que, obviamente, existem pessoas nesse mundo que desejam ser Ceifadores justamente pela sede de sangue e de morte que possuem.

Achei interessantíssimo que podemos ver diferentes perfis de Ceifadores e diferentes ideais de moral e sociedade no livro. Ao passo que alguns Ceifadores preferem conversar com a vítima, outros preferem lhe conceder uma morte rápida e inesperada; enquanto alguns preferem coletar uma pessoa por dia, outros preferem esperar meses e depois criar um massacre, coletando vários ao mesmo tempo. Esse é um dos momentos nos quais é possível perceber que, mesmo tendo muita tecnologia e avanços, os seres humanos continuam a ser humanos e diferentes em suas capacidades e opiniões.

A humanidade é inocente, a humanidade é culpada; ambas as afirmações são inegavelmente verdadeiras.

Outra questão colocada que também reflete muito da sociedade atual é o rejuvenescimento. Ele é um artifício existente no livro, mas não é obrigatório. Isso torna tudo muito mais maluco, já que podemos ter pessoas com 120 anos de idade em um corpinho de 25. Ainda que não exista tecnologia para criar corpos mais novos do que 20 anos, é possível ver mais uma vez opiniões diferentes sobre se a pessoa deveria usar a técnica de rejuvenescimento ou se deveria aceitar a natureza do corpo e envelhecer.

Isso tudo só é colocado em questão, inclusive, por causa da própria imortalidade. Já que as pessoas vivem (quase que) eternamente, pelo que elas vivem? Em um mundo perfeito onde até a própria miséria foi abolida, há muito pouco a ser feito e muitas pessoas acabam caindo no limbo de não ter um objetivo pelo qual lutar.

Como é perturbador viver para sempre. Um ano parece durar apenas semanas. Décadas voam sem nenhum acontecimento que as marque. Ficamos acomodados na monotonia sem sentido da vida, até que, de repente, nos encaramos no espelho e vemos um rosto que mal reconhecemos implorando que nos restauremos e sejamos jovens novamente.

A situação toda é tão caricata que, em certo ponto, até mesmo um personagem do livro chega a comparar a realidade dos humanos deste futuro com cartoons que temos nos dias atuais. É muito inteligente comparar a cura da morte e o rejuvenescimento, por exemplo, com o cartoon do Coyote e Papaleguas – no qual os personagens sempre se explodem e voltam inteirinhos no quadro seguinte.

A imortalidade nos transformou em personagens de desenho animado.

Outros dois pontos da narrativa que eu preciso destacar por ter achado muito inteligentes são que: 1. os Ceifadores são obrigados a manter diários e, nos intervalos dos capítulos, o leitor tem a oportunidade de ver o mundo deles e entender melhor as regras pelos olhos dos próprios Ceifadores; e 2. que existe um sistema de inteligência artificial que governa o mundo mas ele não tem o direito de interferir em assuntos de Ceifadores – assim, não se torna uma ficção científica na qual o robô acaba dominando o mundo, já que essa não é a proposta do livro.

Minha única crítica é que, como é possível perceber pela resenha, eu acredito que esse livro tenha muitos pontos a serem trabalhados e muitas reflexões a serem feitas pelo leitor. Por isso, acho que ele tinha mais cara de ser um livro adulto do que um jovem adulto. Acho que, por vezes, alguns dos temas seriam melhor trabalhados com uma seriedade e discussão maiores do que é encontrado em um livro jovem adulto que traz muito mais ação e correria na própria escrita.

Dito isso, achei o livro fantástico e recomendo muito para quem gosta de distopias e até mesmo de livros mais profundos que tragam uma reflexão por trás. Apesar de ser uma leitura extremamente rápida, gostei muito dos temas tratados e, para ser bem sincera, estou maluca pela continuação!


Para quem gosta mais de resenhas em forma de vídeo, fica aqui o vídeo de resenha do Ceifador que postei no meu canal do youtube:

41 thoughts on “|Resenha| O Ceifador

  1. Ola
    Também já fiz essa leitura e gostei muito, de fato ele é fantástico, preciso concordar com você. A propósito, sua resenha ficou ótima, e eu consegui me identificar muito com a sua opinião. Gostei muito das passagens relacionadas aos diários dos ceifadores, foi um destaque e tanto. Me surpreendi muito!
    Beijos, F

  2. Oi tudo bem?
    Confesso que vejo muita gente falando bem dessa leitura mas não tenho muita vontade de fazer ela, acredito que por não ser meu gênero a leitura não me agradaria, dessa vez passo a dica.

    Parabéns pela resenha

    Beijos

  3. Oiiii tudo bem?
    Menina eu estou loucaaaa mesmo pra ler esse livro, todo esse lance dos personagens serem ceifadores e terem de fazer justiça me deixa nervosa e curiosa, além do mais gostei muito do vídeo e achei bem fofa e divertida.
    Beijinhos

  4. Oiiii tudo bem?
    Menina eu estou loucaaaa mesmo pra ler esse livro, todo esse lance dos personagens serem ceifadores e terem de fazer justiça me deixa nervosa e curiosa, além do mais gostei muito do vídeo e achei bem fofa e divertida.
    Muito sucesso!
    Beijinhos

  5. Boa tarde!
    Ai meu Deus, a minha hype pra ler esse livro só aumenta. Sério, até agora não li UMA crítica negativa sequer. Fico até com um pouco de medo em iniciar a leitura com muitas expectativas e acabar me decepcionando, mas acho meio impossível de isso acontecer tendo em vista a premissa maravilhosa da história.
    Ótima resenha, super completa.
    Abraços.

    http://www.livroterapias.com

  6. Adorei a resenha.
    Achei bem legal a sua opinião sobre não ser um livro que deveria ser jovem adulto, e sim adulto.
    Parece ser um livro bem legal. E estou louca para conhecer mais.
    Beijos

  7. Oiee
    Ainda não conhecia esse livro mas como ultimamente estou nessa vibe de livros com mundo utópico, parece ser uma boa recomendação. A sua resenha me deixou bastante curiosa e instigada com a leitura, já está na wishlist!!!
    Bjs

    1. Também acho que possa ser feito em livros juvenis, mas acho que o fluxo de leitura (que nesse caso, é super rápido), faz com que fique um pouco mais na superfície e acho que ainda tinham muitas coisas que poderiam ser exploradas! 🙂

  8. Oiii, tudo bem?
    Vejo várias críticas positivas acerca desse livro e estou bem curiosa para lê-lo. Gosto de livros reflexivos e apesar de ser um YA, parece ter discussões bem relevantes para os dias atuais, como você mesma confirmou. Adorei a resenha!
    Beijosss

  9. Oie! Tudo bem?

    Guria esse livro está na minha lista de desejados desde que bati o olho nessa capa magnifica e não sabia ainda sobre o que se tratava a obra, depois que descobri e comecei a ler as resenhas maravilhosas sobre ele como a sua, a vontade de compra-lo para lê-lo logo está ficando cada dia maior!

    Bjss

  10. Olá,
    Desde o lançamento da obra que estou doida para fazer a leitura mas ainda não consegui.
    A premissa é bem interessante e na minha opinião ousada e inovadora. Fiquei curiosa para ver o desenvolvimento de cada personalidade de ceifador e como isso interfere nos ideais morais que o livro traz.
    Amei conhecer sua opinião e ela alimentou ainda mais minha vontade de fazer a leitura.

    LEITURA DESCONTROLADA

  11. Heey, me abraça?
    Estou lendo esse livro e precisei parar porque estava com medo de ele terminar tamanha minha paixão por ele. Os personagens, a sociedade, os acontecimentos são TODOS muito bem construídos. Também achei muuuito legal a questão do diário e da inteligência artificial. A comparação com o cartoon é fascinante e mostra que é real mesmo.
    Espero curtir o final, pois ele está destruindo meu coração.
    Beijos

    1. HAHAHAHA siim, abraço!!!!
      O final é bem bacana sim (pelo menos, eu curti) e acho que fez com que toda a construção de mundo valesse mais a pena ainda! Estou muito muito ansiosa pelo segundo volumee! 🙂
      Beijos!

  12. Olá, tudo bem?
    Eu acredito que até hoje não li nenhuma resenha negativa sobre esse livro e, por esse motivo, não vejo a hora de ler (inclusive, comprei o meu essa semana haha). A premissa é realmente bastante original e, por tudo que li na sua resenha, dá para ver que a obra desperta diversas reflexões.
    Apesar de você ter achado que o livro poderia ter sido melhor trabalhado caso fosse um livro adulto, deu para ver que é uma leitura que vale muito a pena. Espero ler em breve e gostar tanto quanto você.
    Beijos!

  13. Olá!
    Esse livro parece muito bom,adoro livros utópicos e com uma sociedade diferente mas que trata humanos como humanos,a essencial não muda.
    Tem ate os mandamento do Ceifador haha.Quero muito me aventurar nessa história e tirar meus questionamentos.
    bjs

  14. Olá…
    Amei sua resenha!
    A cada resenha que leio desse livro minha vontade de ler triplica! Acho a premissa super legal e voce falou com tanta convicção que tenho certeza que irei favoritá-la no Skoob.
    Beijos

  15. Esse livro tá que movimenta o mundo da blogesfera heim?
    Minha amiga leu ele recentemente e amou ele, assim como você ela também recomenda muito o livro. Uma pena que não seja o tipo de leitura que me atraia tanto, mas quem sabe futuramente? O fato de já ter lido muita distopia me enjoou na verdade. kkk
    Parabéns pela resenha e pelas belas fotos.

    Beijos

  16. Olá!

    Menina, eu também já realizei essa leitura e não poderia ter gostado mais dele. Amei de todo coração toda essa nova realidade criado pelo autor. Os personagens são bem construídos, a trama é envolvente e viciante, a organização da sociedade é interessantíssima. Enfim, tudo nesse livro me deixou super encantada e mal posso esperar pelo segundo volume. Amei sua resenha!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

  17. Olá!
    Esse livro está na minha lista de desejados e eu estou louca pra conseguir comprar ele. Eu amo distopias, então toda essa temática me atrai muito. Eu achei interessante sua colocação sobre o livro trazer algumas coisas mais complexas e reflexivas, que seriam melhor para o público adulto, mas assim, eu acho legal jovens fazer leituras assim também, porque acredito que desafios nos faz ficar mais abertos a todo tipo de leitura, pelo menos no meu ponto de vista. Eu adorei sua resenha e espero poder fazer a leitura em breve!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    1. Siim, acho super importante jovens lerem temas mais polêmicos e discutir esse tipo de coisa! Só acho que um livro adulto iria mais afundo nas questões e eu gostei tanto do livro que queria ler mais, muito mais! hahah

  18. Eu simplesmente amei esse livro! Achei super inteligente e bem desenvolvido. Ao contrário de você achei as reflexões e os questionamentos bem feitos e na dosagem correta, por que creio que o autor que fazer a gente pensar e não nos dar as respostas. Acho que até os leitores mais jovens são capazes disso.
    Já estou aqui ansiosa para ler Thunderhead, pena que ele adiou o lançamento!

    Beijos
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *