|Resenha| Mil Pedaços de Você

Mil Pedaços de Você – Firebird #1
Autora: Claudia Gray
Páginas: 285
Editora: Agir Now

Marguerite Caine cresceu cercada por teorias científicas revolucionárias graças aos pais, dois físicos brilhantes. Mas nada chega aos pés da mais recente invenção de sua mãe — um aparelho chamado Firebird, que permite que as pessoas alcancem dimensões paralelas. Quando o pai de Marguerite é assassinado, todas as evidências apontam para a mesma pessoa: Paul, o brilhante e enigmático pupilo dos professores. Antes de ser preso, ele escapa para outra realidade, fechando o ciclo do que parece ser o crime perfeito. Paul, no entanto, não considerou um fator fundamental: Marguerite. A filha do renomado cientista Henry Caine não sabe se é capaz de matar, mas, para vingar a morte de seu pai, está disposta a descobrir. Com a ajuda de outro estudante de física, a garota persegue o suspeito por várias dimensões. Em cada novo mundo, Marguerite encontra outra versão de Paul e, a cada novo encontro, suas certezas sobre a culpa dele diminuem. Será que as mesmas dúvidas entre eles estão destinadas a surgirem, de novo e de novo, em todas as vidas dos dois? Em meio a tantas existências drasticamente diferentes — uma grã-duquesa na Rússia czarista, uma órfã baladeira numa Londres futurista, uma refugiada em uma estação no meio do oceano —, Marguerite se questiona: entre todas as infinitas possibilidades do universo, o amor pode ser aquilo que perdura?

Esse é um livro que tinha me chamado a atenção muito há um tempo atrás mas, por algum motivo desconhecido, eu tinha perdido o interesse nele. Então, a Bele, do Mammia Mia perguntou se eu não queria fazer um buddy read com ela desse livro e nós lemos ao mesmo tempo – o que foi muito bom pra ver o que eu estava perdendo ao não ler ele antes.

O livro conta a história da Marguerite, uma menina de 16 anos apaixonada por artes plásticas. Ela e sua irmã mais velha cresceram em um ambiente um tanto quanto diferente, já que os pais tinham uma visão mais liberal e diferenciada de educação. Elas eram permitidas testar o que gostassem e até acabaram pintando a mesa da cozinha com tinta a dedo quando crianças. Tanto o pai quanto a mãe de Meg eram renomados cientistas e sempre acabavam trazendo seus alunos para casa, o que tornava todo esse cenário ainda mais excêntrico.

IMG_9315

Os pupilos da vez, Theo e Paul, ajudaram os pais de Meg a criar um dispositivo revolucionário que permitia viagens entre dimensões, o Firebird. Eles descobriram que existem milhares de dimensões com possibilidades diferentes e inúmeras versões de nós mesmos de acordo com as decisões que tomamos ou de como a sociedade e tecnologia se desenvolvem.

Há uma dimensão em que os nazistas ganharam a Segunda Guerra Mundial. Outra em que os chineses colonizaram a América bem antes de Colombo sonhar em aparecer. (…) Há até mesmo uma dimensão como a minha, totalmente idêntica, exceto por um dia no quarto ano do colégio, quando aquela Marguerite decidiu colocar uma camisa azul enquanto escolhi usar uma verde.

Porém, a narrativa começa quando o pai de Meg é morto. Então, Theo oferece a Meg a chance de usar um dos Firebirds restantes e viajar com ele atrás do suposto culpado pelo assassinato: Paul. Assim, os dois vão pulando de dimensão atrás de Paul e vão descobrir que, a cada dimensão de distância, as coisas parecem cada vez mais confusas e complexas do que jamais teriam imaginado no começo.

As dimensões que a autora cria são definitivamente minha parte favorita desse livro. O primeiro cenário é uma Londres com tecnologias mais avançadas, quase robótica, e muito diferente da atual. A segunda – definitivamente minha preferida – é de uma Russia que ainda vive sob o poder do Czar e Meg acaba descobrindo que é a filha do monarca. E, no último, Meg acorda em uma casa debaixo d’água, onde mora com o resto da família, perto da Oceania.

São situações extremamente diferentes uma da outra e me surpreendeu a forma com a qual a autora lidou com as diferentes dimensões e como não houve um vão muito grande entre as histórias. Apesar de praticamente opostas, elas se conectam muito bem de acordo com a narrativa.

IMG_9313

Além disso, é incrível ver como a personagem de Meg se comporta ao ser jogada em um lugar que nunca viu antes e nem imagina quais sejam os costumes. Alguns pedaços ficaram um pouco forçados e talvez não tão realistas, mas durante a maioria das cenas, eu fiquei encantada e acabava me perguntando como eu reagiria ao ser jogada em uma dimensão paralela.

Apesar de que a história se desenvolva bem, eu gostaria de poder ter visto um pouco mais de crescimento das personagens. Eu senti que, apesar de passarem por uma aventura imensa, não houve tanto desenvolvimento da parte de Meg. Na verdade, a menina apresentada nos primeiros capítulos do livro acaba persistindo com a mesma imagem até o final.

Toda forma de arte é outra maneira de ver o mundo. Uma nova perspectiva, uma nova janela. E a ciência… é a janela mais espetacular de todas.

Por outro lado, a diagramação do livro ficou muito fofa, intercalando diferentes imagens de abertura de capítulos, assim como os personagens pulam de dimensão. Eu sempre aprecio muito quando as editoras fazem um esforcinho extra e colocam detalhes nos inícios de capítulos que combinam certinho com as histórias narradas!

IMG_9312

Um romance jovem adulto que mistura um pouco de ficção científica com histórias passadas, a autora conseguiu criar um mundo imersivo, no qual o leitor viaja tanto no espaço e tempo e se apaixona a cada novo cenário apresentado. Admito que no começo do livro, até pensei que ia ser mais um jovem adulto bobinho e sem grandes novidades, mas à medida que Meg viajava pelas dimensões, me via presa nas histórias e, quando ela chegou no cenário Russo, o livro me ganhou por completo.

Recomendo para todos que gostam de uma pitada de ficção científica e viagem no tempo em seus romances. O segundo livro da série, Dez Mil Céus Sobre Você, já foi publicado aqui no Brasil e eu estou louca para comprar, espero que tenha a oportunidade logo de continuar toda essa história maluca.

2 thoughts on “|Resenha| Mil Pedaços de Você

  1. Adorei!! Você conseguiu contextualizar super bem o livro! Também achei que faltou a evolução da Meg, e claro, queria e ainda quero que ela tenha um caso com o Theo! Hahaha Beijos! <3

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *