Livros sem romance | T5W

Essa é provavelmente uma das listas mais difíceis que eu vou fazer nas quartas-feiras, mas vamos lá.

Hoje vim aqui postar 5 livros que não tem romance como parte do Top 5 Wednesday. Só quando esse tópico foi lançado que eu percebi como eu sou apegada a romances e como é difícil eu ler livros que não tenham pelo menos um pedacinho de romance. Por isso, alguns dos livros aqui podem conter algum romance, desde que o foco principal não seja esse e que ele seja uma parte bem bem bem pequena da história.

1. O Último Adeus

Esse foi o primeiro livro que eu pensei na categoria sem romance porque é, mesmo assim, um dos meus livros favoritos no mundo. Ele conta a história de Alexis, uma menina cujo irmão mais novo cometeu suicídio dois meses antes da narrativa iniciar. A história contada pela menina é tocante e imersiva, fazendo com que o leitor passe por uma montanha russa de sentimentos que a personagem também experimenta: raiva do irmão no começo, abandono dos pais, afastamento dos amigos e do ex-namorado e muitas, mas muitas saudades do irmão. Pra quem quiser saber um pouco mais, tem uma resenha mais completa desse livro aqui no blog.


2. Sete Minutos Depois da Meia-Noite

É uma história maravilhosa sobre um menino de 13 anos, chamado Conor, cuja mãe está com câncer em estado terminal. O livro começa quando Conor recebe uma visita de um ser muito antigo exatamente às 00:07. O monstro diz estar respondendo ao chamado de Conor mas, vendo que o menino não se lembra de lhe ter chamado, resolve contar sua própria história. O monstro promete, então, voltar mais três noites para visitar Conor e lhe contar sobre as únicas 3 vezes que se levantou da terra para interferir na vida das pessoas. Depois disso, ele exige que Conor lhe conte a sua verdade, aquela que atormenta os pesadelos do menino todas as noites e que ele não admite nem para si mesmo. É o meu livro favorito do mundo todo, pois o autor soube lidar com luto, perda e todos os sentimentos relacionados a doenças terminais de uma forma muito delicada e ainda ensinar ao leitor valiosas lições sobre a vida.


3. O Sol é Para Todos

Esse é pra qualquer pessoa que morra de medo de clássicos: leia O Sol é Para Todos e eu aposto que você vai ver como esse medo era infundado. O livro é narrado por Scout, uma menina de 6 anos que mora no Alabama nos anos 1930. O pai de Scout é um advogado muito famoso na cidade que passa a ser visto com maus olhos por algumas pessoas porque decide defender um negro acusado de estuprar uma menina branca. É um livro sobre racismo em uma das épocas mais segregadas da história dos Estados Unidos. É ver o mundo pela perspectiva de uma criança que amadurece muito durante a narrativa e que não consegue entender por que tratam as pessoas diferentes baseado na cor de suas peles. (Não preciso nem explicar o motivo de ser um livro escrito em 1960 que continua pertinente, né?)


4. Fale!

Essa é uma leitura bem recente, mas tenho que admitir que gostei bastante dela. Conta a história de Melinda, uma menina que acaba de entrar no ensino médio e já sabe, de cara, que não vai poder contar com as melhores amigas do ano anterior. Tudo isso porque, um pouco antes de as aulas começarem, aconteceu uma festa na qual Melinda passa por uma experiência traumatizante e chama a polícia. Com a festa acabada, todos veem a menina como uma dedo dura e se afastam dela. O ponto é que a própria Melinda deixa que esse comportamento aconteça e vai falando cada vez menos com todos em sua vida. A escrita é super rápida e envolvente e a autora consegue passar o desespero e ansiedade da personagem apenas com a narrativa de frases curtas e expressivas.


5. Uma Chama Entre as Cinzas

Eu sempre recomendo esse livro pra pessoas que gostam de distopias, mas sinto que ninguém dá o devido valor à história e nunca dão uma chance pra essa leitura. Contado em dupla perspectiva, o livro se passa em um cenário distópico de deserto inspirado no sistema romano militar. Laia é parte da sociedade miserável assombrada pelos soldados mas, quando o irmão é raptado e seus avós mortos, Laia se junta à resistência e é enviada como escrava para espionar a comandante militar da Academia dos soldados. Elias é o filho da comandante, um dos soldados mais promissores e melhor treinado, mas tem um único objetivo: fugir o quanto antes da Academia e viver em algum lugar distante, onde ninguém o encontre e mate por ter desertado. Apesar dos dois personagens se encontrarem e terem empatia um pelo outro, não há romance entre os dois durante a narrativa (pelo menos no primeiro livro!). Indico muito pra quem gostou de Rainha Vermelha, Jogos Vorazes ou mesmo Divergente.

 

Esse post faz parte de um grupo aberto a qualquer um que queira participar no Goodreads, chamado Top 5 Wednesday. Toda quarta-feira, os participantes postam listas de 5 livros com um tópico específico e depois discutem sobre as diferentes escolhas de cada um. Vem você participar também! 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *