|Resenha| À Procura de Audrey

Desde o sucesso de Os Delírios de Consumo de Becky Bloom, eu sempre tive curiosidade de ler um livro da Sophie Kinsella, mas acabei nunca comprando nada dela.

Agora, com o novo lançamento de À Procura de Audrey, o primeiro livro Young Adult da Sophie, resolvi investir. Eu soube desse livro quando ainda estava morando na Inglaterra e todos os comentários sempre eram muito positivos sobre a escrita e o tópico da história.

IMG_1988

Audrey é uma adolescente de 14 anos que vive com óculos escuros (mesmo dentro de casa) para não ter que enfrentar o mundo depois de ter sofrido bullying na escola. O livro conta a história de Audrey batalhando contra seus medos, fazendo suas primeiras aparições na Starbucks local como uma forma de sair de casa, e como sua família inteira lida com a situação.

A ideia de Audrey usar os óculos o tempo inteiro para se esconder do olhar de outras pessoas foi uma das coisas que mais me chamou a atenção. Muitas pessoas tem dificuldade de manter o contato visual durante uma conversa (incluindo eu) e acho que Audrey explica muito bem o motivo disso.

“A maioria das pessoas subestima os olhos. Para começo de conversa, são poderosos. Têm grande alcance. Você os foca em alguém a 30 metros de distância, em meio a um mar de gente, e a pessoa sabe que está sendo observada. Mas são como vórtices também. Infinitos. Ao olhar para alguém diretamente nos olhos, sua alma inteira pode ser sugada em um nanossegundo. É a sensação que dá. Os olhos dos outros são ilimitados, e isso me assusta.”

IMG_1990

A leitura é extremamente rápida e apaixonante. Apesar de ser uma escrita simples, Sophie Kinsella consegue trazer a realidade e o humor para um livro que trata de tantos tópicos importantes e delicados, como por exemplo transtornos mentais e bullying.

A autora retrata muito bem episódios de pânico e estresse que Audrey passa durante seu tratamento e mostra o quão difícil é o processo de recuperação para alguém que sofre de depressão, ansiedade ou ataques de pânico.

Quando eu morei na Inglaterra, país natal de Sophie, eu pude reparar que as doenças mentais são tópicos muito bem tratados e debatidos pela sociedade como um todo. Já, aqui no Brasil, eu tenho a sensação das pessoas não darem as devidas proporções para esse tópico ou geralmente o jogarem para escanteio. Por isso, acho que o livro descreve e mostra bem a importância do suporte e incentivo durante processos de tratamento de doenças mentais.

“Quando digo as coisas para a terapeuta, é como se eu mesma as tivesse ouvindo pela primeira vez, então tudo se torna real de súbito.”

IMG_1989

Audrey conta no livro que desenvolveu esses problemas depois de um episódio específico de bullying em sua escola antiga. Fiquei um pouco decepcionada de o livro não contar qual foi, mas entendi que a crítica maior não é ao episódio em si, mas à todo quanto é tipo de bullying feito nas escolas.

O desenvolvimento do livro é muito bem planejado, e o progresso de Audrey me pareceu bem realista. Ela avança ao mesmo tempo que tem algumas recaídas e ataques de pânico durante o livro. Eu não imagino que se recuperar de um trauma ou uma doença assim deva ser tão rápido quanto o livro deixa transparecer, porém, em uma escala maior de tempo, acho a história e o desenvolvimento plausíveis.

“A vida é tipo uma escalada: você cai e se levanta de novo. Então não importa se der uma escorregada. Contanto que esteja mais ou menos caminhando para cima. Isso é tudo que se pode esperar. Seguir mais ou menos para cima.”

Muitos jovens e até adultos vão poder se identificar com os problemas de Audrey e de sua dinâmica familiar e aprender um pouquinho mais sobre todos esses tópicos com uma leitura bem humorada.

IMG_1992

De uma forma geral, o livro é muito bem escrito, uma leitura rápida e interessante. Achei incrível a forma como a Sophie Kinsella consegue tratar de temas tão importantes com humor e ainda me fazer chorar em certos pedaços. Me deixou com mais vontade de adicionar a série Shopaholic da Sophie Kinsella à minha lista de livros para ler até o final do ano.

Para ver minha review no GoodReads, é só clicar aqui.

À Procura de Audrey
Autora: Sophie Kinsella
Páginas: 336
Editora: Galera Record

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *